segunda-feira, 19 de março de 2012

DROGAS/EDUCAÇÃO E COPA DO MUNDO

Neste último fim-de-semana, fui dar um passeio pelo interior, mas precisamente no povoado leite e em povoados adjacentes, todos municípios de Itapecuru-Mirim/Ma., às noticias que tivemos referente a drogas foi a pior possível. Nestas comunidades que a gente custa acreditar que existam alguma ocorrência relacionada a drogas, os assaltos a mão armada estão perdendo para às agressões, tanto a familiares como outras pessoas, tudo por causa dos dependentes de crack que são escravos do traficante que estão bem a vontade, vendendo droga a menores, adultos e todos que fazem uso indiscriminado das drogas. Meus amigos é terrível quando nos deparamos com essa situação, devido a não ação dos órgãos que tem a responsabilidade de coibir este abuso junto ao tráfico, bem como preparar uma estrutura adequada para receber os doentes que se encontra numa situação de desespero pela falta de atitudes mais enérgicas das autoridades.

Enquanto isso, a educação nos povoados circunvizinhos vão de mal a pior, não sei mais se o que é mais difícil de resolver, se a questão das drogas ou educação, mas creio que a educação e saúde criando condições de capacitação de colaboradores, tanto da educação com a saúde, haveremos de amenizar este mal que estão imperando nos mais longínquos lugarejos de nossa estado.

Para que você caro leitor, tenha uma idéia da situação caóticas nestes municípios, vamos postar algumas fotos de uma escolinha que funciona no Povoado Cajueiro, município de Itapecuru-Mirim, cujo prefeito é um Sr. de nome Junior Marreca, que ainda por cima, pasmem, é Presidente da Federação dos Prefeitos das Cidades do Maranhão.

Nesse meio tempo, a Camara dos Deputados Federais, juntamente com a presidente Dilma, estão preocupados com a lei da copa, que tem um dos artigos que fala da liberação de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol do Brasil, numa desmoralização da Soberania Nacional, quando o presidente da Fifa vem aqui e dita às ordens, e os nossos nobres deputados e Presidente aceitam isso de maneira Cortez, e todos sabemos que  a educação  e saúde que vão de mal a pior,  deveriam ser prioridade.

Abaixo, algumas fotos da escolinha no interior, cuja merenda escolar nem se fala. Uma pergunta que fez um dos seguidor se do blog: Será que eles colorariam os filhos deles para estudar nesta escola?

 Quadro-negro da Escola

 Biblioteca da Escola

Sala de aula da Escola

Abaixo, matéria extraída revista Época concernente alei da copa, onde os deputados anoitecem falando uma coisa e amanhecem com outro discurso no mesmo assunto. Isso é vergonhoso para um país como o Brasil.

“Amanhã [terça-feira] teremos reunião com líderes da base do governo, procurarei também os líderes da oposição para analisarmos o momento de votar. Avalio que seja possível votar esta semana, porém, a resposta definitiva teremos amanhã”, disse Chinaglia. Sobre a prioridade de votação da lei para a presidenta Dilma, Chinaglia relatou: “Para o líder do governo, até pela importância do tema, ela [Dilma] fez referência específica como um dos pontos importantes para o governo”.
A reunião comandada por Dilma foi realizada para evitar novas divergências como a ocorrida na semana passada. Chinaglia e outros líderes chegaram a anunciar que o governo iria vetar a venda de bebidas alcoólicas nos estádios durante a Copa, mas no dia seguinte voltou atrás. A reunião desta segunda teve a participação do vice-presidente, Michel Temer, do líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM) e de ministros, entre eles Aldo Rebelo (Esporte), Ideli Salvatti (Secretaria de Relações Institucionais) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil).
Aldo Rebelo fez aos participantes um relato sobre os compromissos assumidos pelo Brasil com a Federação Internacional de Futebol (Fifa) para a realização da Copa do Mundo de 2014 no país. Entre eles está a liberação de bebidas nos estádios. “Passamos e repassamos todos os compromissos e termos aditivos desses compromissos assumidos durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e neste governo, compromissos que, naturalmente, o governo brasileiro honrará”, ressaltou Aldo.
Na avaliação de Chinaglia, o ponto mais polêmico do texto é o que trata da venda de bebidas alcoólicas nos estádios onde ocorrerão as partidas. Perguntado sobre a influência das bancadas religiosas na discussão, Chinaglia disse acreditar que permanecerá a posição pelo cumprimento dos compromissos assumidos pelo governo brasileiro. “Vamos conversar com todos respeitando as convicções. Há espaço nas bancadas para constituir posição de bancada. Na sua maioria, a questão religiosa será respeitada sempre, agora, a maioria deverá ter uma opinião pelo mérito, e não pela religião", respondeu.
Também participaram da reunião o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo; das Cidades, Aguinaldo Ribeiro; da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho; e da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho. 
Revista Época

Nenhum comentário:

Postar um comentário